Fórum sobre mobilidade encerra com apresentação de propostas e visita ao CCC



Realizada pela Prefeitura de Manaus, em conjunto com a Associação Nacional de Transportes Públicos (ANPT), a 111ª. Reunião do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes de Mobilidade Urbana, em seu encerramento, nesta quinta-feira, 23/6, discutiu temas como redução de acidentes de trânsito e experiências de outras cidades pelo país.

O evento realizado no hotel Intercity, no bairro Adrianópolis, zona Centro-Sul, contou com a participação de gestores do país, representando órgãos públicos e entes privados, uma oportunidade para troca de experiências e informações visando melhoria da mobilidade urbana.

"Um assunto bastante relevante, foi como fazer com que o subsídio do transporte seja uma realidade e que tenha participação de outros atores, para que haja incremento de outras receitas, tais como o governo do Estado e governo federal, além de outras partes da sociedade. É salutar que essas receitas não fiquem tão focadas apenas em recursos das prefeituras", comentou o diretor-presidente do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), Paulo Henrique Martins, em avaliação ao evento, assim como os temas abordados.

Também foram apresentadas experiências de outras cidades do país como Natal (RN), Santa Maria (RS) e Hortolândia (SP).

Pnatrans

Após as apresentações foi discutido o processo de implantação do Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (Pnatrans), por Marcela Laís, representante da Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran). A participação ocorreu em formato virtual

O Pnatrans foi criado em 2018, pela lei nº 13.614, para orientar e implementar ações com o objetivo de reduzir mortes e lesões no trânsito.

Para o secretário municipal de Mobilidade Urbana de Maringá, José Gilberto Purpur, reduzir os acidentes e mortes no trânsito é um trabalho de persistência.

“Não se reduz os acidentes e mortes no trânsito da noite para o dia. É preciso um trabalho persistente e, quanto melhor o resultado, mais difícil é mantê-lo. Faz-se necessário, trabalhar na fiscalização eletrônica, fiscalização presencial e educação para o trânsito, além da engenharia. É esse tripé que faz baixar o número de mortes nas cidades", destacou.

Visita

Durante a tarde, os participantes do evento realizaram uma visita técnica ao Centro de Cooperação da Cidade (CCC), no bairro Parque 10 de Novembro, onde tiveram contato com o monitoramento do trânsito realizado em diversas áreas da capital.

O secretário municipal de Mobilidade Urbana de Hortolândia, Atílio André Pereira, elogiou a estrutura do CCC. “Estamos todos aqui impressionados com a estrutura e serviços disponíveis no CCC. É um exemplo, não só para as cidades do país, mas também para muitas capitais”, afirmou.


Manaus sedia 111ª reunião do Fórum Nacional de Trânsito e Transportes



A Prefeitura de Manaus, por meio do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), realiza nos dias 22 e 23 de junho, a 111ª Reunião do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Públicos de Transporte Urbano e Trânsito. O evento discute temas pertinentes à modernização dos setores e promove troca de experiências bem-sucedidas nessas áreas.

Gestores das áreas de trânsito e transporte de várias cidades brasileiras participam do encontro, organizado em todo o Brasil pela Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP). O evento iniciou às 9h, desta quarta-feira, 22, no hotel Intercity Manaus, na rua Marciano Armond, 544, Adrianópolis, zona Centro-Sul.

A abertura da reunião contou com as presenças do diretor-presidente do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), Paulo Henrique Martins; do novo presidente do Fórum Nacional e superintendente de Transporte e Trânsito de Aracaju, Renato Telles; do prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque; do secretário Executivo do fórum, Alexandre Resende; além de outros convidados.

Os palestrantes deram início à discussão com o tema “Cidade de Manaus em Destaque”, coordenado por Renato Teles. A apresentação da cidade foi feita pelo diretor-presidente do IMMU, Paulo Henrique Martins, que destacou os principais desafios da cidade na área de mobilidade urbana.

"Entre os desafios da área de transporte estão a melhoria operacional do sistema. Tínhamos duas empresas operando muito mal. Uma conseguimos tirar do sistema e a outra reduziu-se pela metade a frota. Outro desafio é a modernização da frota envelhecida que o desequilíbrio financeiro não deu condições às empresas de substituir os carros, e depois veio a pandemia com a falta de passageiros", apontou.

Paulo Henrique citou a melhoria da infraestrutura do transporte, como a modernização de terminais de integração e a recuperação de paradas.

"Outro desafio é a manutenção da tarifa, sendo esse o maior dos desafio das cidades, porque tem aumentado o custo e temos que manter a tarifa acessível à população. Operadores sabem que se aumentar demais o valor da passagem, afugenta o passageiro, ainda mais quando há concorrentes muito fortes como o transporte por aplicativo e outras opções", destacou.

O superintendente da ANTP, Luiz Carlos Nespoli, falou sobre recursos para fazer frente às necessidades do sistema de transportes.

"Está muito claro para todos que os recursos advindos dos passageiros não são suficientes para a manutenção e para arcar com os custos do sistema de transporte. Para aumentar a qualidade, é necessário trazer recursos e estes estão disponíveis, via Congresso Nacional, que já foram aprovados pelo Senado e estamos aguardando a aprovação pela Câmara dos Deputados. A médio e longo prazos deve-se fazer uma revisão profunda no modelo de gestão, contratação e operação no sistema de transporte em todo o Brasil. Isso também já está no Congresso como regulamentação do Marco Nacional dos Transportes, que vai tratar do custeio, financiamento de infraestrutura e também sobre transparência, ou seja, todas as pessoas devem saber como o sistema é organizado", afirmou.

Para Renato Telles, presidente do Fórum da ANTP, o encontro é importante para a troca de experiências entre gestores de mobilidade urbana do país.

“Acabamos de passar pelo Maio Amarelo, que tratou sobre prevenção a sinistros no trânsito, mas, com certeza, a pauta mais importante é o transporte público. O sistema já vinha cambaleando e sofreu forte impacto com a pandemia, redução do número de passageiros e também pelo aumento sucessivo do diesel, que impacta sensivelmente a tarifa. Temos uma pauta importante do trânsito, mas, o mais importante no momento é em relação ao transporte público", frisou

Telles elogiou os serviços da cidade de Manaus. "Fiquei bem impressionado com a cidade que está bem sinalizada. Chegar em uma cidade e ver que temos muitas experiências que podemos levar a outros locais, além de avanços, é muito bom", destacou.

O diretor administrativo da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), Marcos Bicalho dos Santos, afirmou que a discussão sobre custeio e investimento no transporte público é essencial para a manutenção do sistema nas cidades brasileiras.

"No caso do custeio, foi essencial a separação da tarifa pública e da tarifa de remuneração. Fico muito feliz ao escutar o case de Manaus, que implantou esse processo de separação de tarifas e os resultados já estão sendo colhidos com essa política de separação. Entendemos que este é um processo que não tem volta e já avançou bastante neste período pandêmico", destacou.

Texto - Alisson Castro / IMMU
Fotos – João Viana / Semcom


Prefeito David Almeida vistoria 14 novos ônibus que entram na frota a partir de segunda, 27/6



O prefeito de Manaus, David Almeida, realizou, na manhã desta terça-feira, 21/6, uma vistoria nos primeiros 14 ônibus, de um total de 138, que serão colocados em circulação nas vias da capital amazonense ainda neste ano. Os novos veículos fazem parte do plano de renovação da frota manauara e já estarão à disposição da população na próxima segunda-feira, 27/6.

“Estamos modernizando a frota de ônibus. Nós estamos recebendo os primeiros 14, de um total de 138, incluindo os elétricos. A nossa meta é chegar até o final do ano com esses ônibus todos já disponíveis no nosso sistema. Assim que esses veículos forem chegando, nós vamos colocando para rodar, visando melhorar a qualidade do serviço prestado no transporte coletivo. São ônibus com ar-condicionado, com suspensão pneumática e direção hidráulica, dando conforto para o trabalhador rodoviário e para o usuário do serviço do coletivo”, enfatizou David.

O gestor municipal, acompanhado pelo diretor-presidente do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), Paulo Henrique Martins, realizou um test-drive no veículo. Durante a viagem, ele salientou a importância dos novos veículos como um marco na transformação da cidade de Manaus.

“Vamos melhorar o conforto da população. Queremos modernizar a frota ano a ano. Em função da pandemia, não tivemos a fabricação de ônibus durante dois anos. Em 2022, as fábricas voltaram ao ritmo normal e esses veículos são os primeiros que chegaram a Manaus. A nossa meta é melhorarmos a mobilidade urbana da cidade, melhorarmos o transporte coletivo e investir também em viadutos, passagens de nível e alargamento de vias. Nós estamos finalizando os nossos convênios e contratos, e tenho certeza de que, nos próximos meses, nós teremos uma melhor condição para os condutores e para o morador da cidade de Manaus com relação ao transporte coletivo e a mobilidade urbana”, afirmou o prefeito.

Paulo Henrique Martins informou que todos os novos veículos são preparados para atuarem em vias que saem dos bairros e seguem até os terminais utilizando os corredores, visto que são equipados com porta de saída no lado esquerdo. Assim, as empresas devem reforçar as linhas que atuam nas zonas Norte e Leste da capital.

“Esses ônibus serão distribuídos pelas empresas nas áreas que mais necessitam. É bom que as pessoas entendam que estamos entrando em uma fase de melhoria tecnológica dos veículos. Essa é a quarta etapa no programa de governo do prefeito David Almeida. São ônibus que poluem menos, têm suspensão a ar e são menos barulhentos, pois os motores estão na parte traseira. Essa tecnologia, só Manaus e Goiânia (GO) estão usando. Foram as primeiras capitais a receberem esses veículos”, informou Martins.

Texto – Thiago Fernando/Semcom
Fotos: Semcom


Próxima Página

Voltar para Página Principal